Dia_Mundial_de_Luta_contra_o_Cancer_Minervaldo_Lopes_Ascom_Sesau__3_.jpeg

Neste sábado, 4 de fevereiro, é celebrado o Dia Mundial de Luta contra o Câncer, uma iniciativa global que visa aumentar a educação e conscientização das pessoas sobre a doença.

Em Roraima, a Unacon-RR (Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia de Roraima) é a principal referência para os pacientes oncológicos, oferecendo uma gama de serviços que possibilitem a cura de diversas neoplasias.

De acordo com dados da unidade, 740 pacientes deram entrada pela primeira vez para se submeterem a tratamento de câncer, resultando em na realização de 110 mil atendimentos no ano de 2022.

Dia_Mundial_de_Luta_contra_o_Cancer_Divulgacao.jpeg

“Esse quantitativo demonstra a grande importância da unidade na saúde pública do estado, uma vez que é a única unidade credenciada pelo Ministério da Saúde para realizar o tratamento do câncer em Roraima”, destacou o diretor da Unacon-RR, Anderson Dalla Benetta.

Conforme ele, a doença não possui uma causa única, podendo ser relacionado tanto a fatores externos presentes no meio ambiente; quanto internos, como hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas.

“É importante ter uma dieta saudável, reduzindo a ingestão de gorduras, se possível não fazer uso de carne vermelha, não fumar, não beber [bebidas alcoólicas], praticar atividade física e evitar o sobrepeso são os principais cuidados que estão relacionados com diversas neoplasias”, ressaltou.

EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO

Inaugurada no dia 8 de julho de 2006, a Unacon-RR oferece tratamento clínico, cirúrgico e quimioterápico para todos os tipos de neoplasia, em pessoas acima de 18 anos.

Toda a rotina de trabalho é composta por cerca de 80 profissionais, entre psicólogos, assistentes sociais, fonoaudiólogos e outros.

“A unidade oferece mais 30 tipos de serviços exclusivos para pacientes com câncer, entre serviços médicos e não médicos, por toda a equipe multiprofissional”, completou Dalla Benetta.

O utônomo Zito Pimenta, de 28 anos, foi diagnosticado com linfoma de hodgkin clássico em 2021, tendo realizado boa parte de seu tratamento pela unidade.

“O tratamento [na unidade] foi tranquilo, e mesmo na pandemia, fui atendido muito bem. Depois fui mandado pra Manaus para fazer radioterapia, em um tempo super curto, que também deu tudo certo. Hoje, faço acompanhamento de tempos em tempos, para garantir que o câncer não volte”, relatou o paciente.

COMO SOLICITAR ASSISTÊNCIA DA UNIDADE?

Para solicitar a assistência da na unidade, é necessário apresentar a biópsia positiva juntamente com as documentações pessoais (RG, CPF, comprovante de residência e cartão do SUS).

Vale lembrar ainda que a duração do tratamento de um paciente oncológico pode variar de acordo com a neoplasia e objetivos do tipo de procedimento do qual ele será submetido. No geral, esse tempo pode ser de três a seis meses.

A Unacon-RR está situada dentro do HGR, que fica na avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, nº 1.364, bairro Aeroporto. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

SECOM RORAIMA

JORNALISTA: Suyanne Sá

FOTOGRAFIA: Ascom/Sesau

Orientacoes_sobre_Fluxo_de_Atendimento_ao_Diabetico_Suyanne_Sa_Ascom_Sesau__2_.jpeg

 

Profissionais que atuam no atendimento de demandas relacionadas à diabetes na Clínica Médica Especializada Coronel Mota promoveram nesta quinta-feira, 2, uma palestra voltada para tirar as principais dúvidas sobre como funciona o fluxo de atendimento da unidade.

A ação foi inteiramente voltada para pacientes assistidos pelo CEAD (Centro Especializado de Atenção ao Diabético), criado exclusivamente para os cuidados com a doença, conforme explicou a diretora geral da unidade, Rayane Santos.

“A importância dessa palestra é esclarecer como o paciente irá entrar em nossa rede. Por se tratar de um centro especializado, o diabético deve ser referenciado pelo médico geral da rede municipal para a nossa unidade”, disse.

Orientacoes_sobre_Fluxo_de_Atendimento_ao_Diabetico_Suyanne_Sa_Ascom_Sesau__1_.jpeg

Durante o atendimento na UBS (Unidade Básica de Saúde), o profissional deverá classificar a gravidade do caso, reforçando a necessidade da realização da consulta na rede especializada, de acordo com o parâmetro do Ministério da Saúde.

Caso esse paciente receba a classificação vermelha, a marcação da consulta no CEAD deve ocorrer em até 30 dias. Se a classificação for amarela, a avaliação será feita em até 90 dias; e a verde, em até 120 dias.

“Nós temos os médicos reguladores que irão avaliar o encaminhamento do paciente vermelho, para analisar se ele está realmente na situação de risco e então marcar a consulta”, ressaltou a representante da Central de Regulação no Coronel Mota, Raquel Pimentel.

A dona de casa Maria Feitosa, de 60 anos, é uma das pacientes atendidas pelo CEAD. Além de participar da palestra, ela destacou a importância dos pacientes terem ciência de como é o fluxo dentro da clínica.

“Acredito que seja de suma importância termos conhecimento sobre o fluxo da unidade para podermos saber onde devemos nos direcionar para solicitar os nossos atendimentos, exames e outras necessidades necessárias”, salientou.

RETIRADA DE MEDICAMENTOS

Além de explicar o fluxo do CEAD, a palestra também prestou orientações sobre a retirada de medicamentos na Central de Abastecimento Farmacêutico do Estado.

De acordo com o coordenador geral de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Saúde, Charles Gonçalves, o paciente pode recorrer ao município, por meio da Atenção Primária ou na Atenção Especializada do Estado, pela Sesau.

“Para fazer o cadastro é necessário estar munido do receituário, laudo médico do especialista endócrino, RG, CPF, Cartão do SUS (Sistema Único de Saúde) e comprovante de residência”, ressaltou.

Localizada na avenida São Sebastião, nº 1485, no bairro Santa Tereza, a Central de Assistência Farmacêutica funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 12h (para a retirada de medicamentos) e das 14h às 18h (para medicamentos e material médico hospitalar).

ATENDENDO COM CARINHO

Em funcionamento desde o dia 20 de setembro de 2022, o CEAD (Centro Especializado de Atenção ao Diabético) tem como missão proporcionar qualidade de vida para as pessoas que sofrem com a diabetes.

Após passar pela consulta com o especialista do Coronel Mota, o paciente pode ir até o CEAD para fazer a sua carteirinha da unidade. O cartão é um documento que permite marcar retornos das consultas.

Os serviços oferecidos na unidade são: ortopedia, vascular, oftalmologia, retinologia, dermatologista, endócrino, nutricionista, nutrólogo, psicólogo e psiquiatra, além de exames como endoscopia e ultrassom.

“Tudo o que a unidade tem para oferecer, o paciente do CEAD poderá usufruir. A diferença do paciente atendido pelo Centro é que ele terá prioridade e será um atendimento diferenciado dos demais”, pontuou Rayane Santos.

O CEAD fica localizado na Rua Capitão Júlio Bezerra, nº 636, Centro, dentro do Coronel Mota. O horário de funcionamento é das 8h às 13h, de segunda a sexta-feira.

SECOM RORAIMA

JORNALISTA: Suyanne Sá

FOTOGRAFIA: Ascom/Sesau

Palestra_e_Piquinique_Janeiro_Branco_Suyanne_Sa_Ascom_Sesau__1_.jpeg

Dando sequência à programação da campanha do Janeiro Branco, a CMECM (Clínica Médica Especializada Coronel Mota), promoveu na manhã desta quarta-feira, 18, uma palestra voltada para pacientes e servidores que atuam no setor de psiquiatria da unidade.

O encontro aconteceu durante um piquenique realizado na praça Jorge Manoel Da Silva, conhecida popularmente como Mirandinha, no bairro Caçari. O objetivo da ação é chamar a atenção da população sobre a promoção da saúde mental.

“Escolhemos essa data para fazer um piquenique com as psicólogas, pacientes e uma convidada especial para dar uma palestra. Estamos hoje aqui em referência ao Janeiro Branco, para que possamos ter esses cuidados [com a saúde mental]”, reforçou a responsável pelo setor de psiquiatria do Coronel Mota, Suely do Nascimento.

A advogada e especialista em neurociência, Dolane Patrícia Santos, foi convidada para ministrar a palestra do dia. O assunto abordado por ela foi o perfil comportamental e como as palavras podem influenciar na saúde mental das pessoas.

““Hoje um dos maiores problemas da humanidade é o relacionamento, ou melhor, como se relacionar com as outras pessoas. Na neurociência, usamos o cérebro a favor de melhorar a nossa vida como um todo”, ressaltou a advogada.

A técnica em enfermagem Tereza Alves, de 68 anos, faz acompanhamento com a psicóloga e psiquiatra do Coronel Mota há pelo menos um ano, depois de uma indicação das profissionais da unidade. Ela explicou ter ficado contente com o convite para participar do encontro.

“Eu me senti muito feliz com o convite e acho maravilhosa [a campanha do Janeiro Branco], principalmente porque uma vez já pensei em tirar minha vida. É uma dor e desespero muito grande e as pessoas precisam procurar ajuda, um especialista, para você conseguir viver o presente que Deus lhe deu”, comentou.

PROGRAMAÇÃO

A próxima atividade do Coronel Mota sobre o Janeiro Branco está prevista para o próximo dia 27, com a realização de um passeio ciclístico com pacientes e colaboradores da unidade.

O horário da atividade está previsto para às 8h30, com ponto de concentração no estacionamento da clínica, que fica localizada na rua Coronel Pinto, nº 636, Centro.

SECOM RORAIMA

JORNALISTA: Suyanne Sá

FOTOGRAFIA: Ascom/Sesau

Comparecimento_de_doadores_de_sangue_em_janeiro_Suyanne_Sa_Ascom_Sesau__1_.jpeg

O baixo comparecimento de doadores de sangue no mês de janeiro tem preocupado a equipe que atua no Hemoraima (Centro de Hemoterapia e Hematologia de Roraima), unidade responsável por abastecer a rede pública e privada de hospitais com bolsas de sangue.

Esse fenômeno é ocasionado pelo período de férias do início de ano e pode impactar na realização de cirurgias eletivas. A assistente social do Hemoraima, Helen Bessa, ressalta a importância de manter os estoques em quantitativo satisfatório.

“Nós estamos recebendo uma média de 30 doações, isso é muito preocupante. Pela parte da manhã, que tem uma movimentação maior, recebemos 25 doações e, à tarde, só três. Isso nos preocupa demais por se tratar de um hemocentro que atende todo o Estado”, afirmou.

Para se ter uma noção da importância do comparecimento de doadores voluntários, em dias satisfatórios, a unidade costuma receber de 50 a 75 doações. Nas duas primeiras semanas do mês, esse número não chegou a 30 doações.

A unidade pede o comparecimento de doadores de todas as tipagens sanguíneas, principalmente o tipo O-.

O processo de doação é simples e rápido, ajudando a salvar até 4 vidas. Cerca de 450 ml são coletados, e a doação pode ser feita a cada três meses, podendo ajudar até 12 pessoas.

A servidora pública Clarisse Pereira, de 27 anos, está doando sangue pela segunda vez. Ela conta que sua principal motivação é ajudar o próximo.

Comparecimento_de_doadores_de_sangue_em_janeiro_Suyanne_Sa_Ascom_Sesau__3_.jpeg

“A minha motivação é que, através desse ato, podemos salvar outras vidas, sem saber quem é, sem conhecer [o receptor], mas o importante é que sabemos que vai salvar a vida de alguém”, comentou.

PARCERIA

A partir desta segunda-feira, 16, até sexta-feira, 20, o Hemoraima estará realizando uma campanha em conjunto com a BABV (Base Aérea de Boa Vista). A expectativa é que a unidade receba 40 doadores por dia.

“Do dia 16 ao dia 20, estaremos fazendo uma campanha em parceria com a Base Aérea. Isso significa que nesse período receberemos esse parceiro, mas com o final da campanha volta essa baixa de doadores”, ressaltou Helen.

COMO SER UM DOADOR?

Para ser um doador de sangue, é preciso se encaixar em alguns critérios como, ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar no mínimo 50 quilos, estar alimentado e ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior.

No momento da doação, é preciso apresentar um documento oficial com foto. Caso o interessado seja menor de 18 anos, deve ter o consentimento formal dos pais ou de responsável legal.

Se encaixando nesses critérios, a pessoa é cadastrada e encaminhada para uma entrevista e em seguida passa por uma triagem. Não havendo nenhum impedimento, é levada para a sala de coleta onde é feita a doação, que dura no máximo 10 minutos.

O Hemoraima fica localizado na Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, próximo ao Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento. O horário de funcionamento da unidade é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 11h e de 13h30 às 17h.

Outras informações podem ser obtidas por meio do número (95) 98414-0726.

SECOM RORAIMA

JORNALISTA: Suyanne Sá

FOTOGRAFIA: Ascom Sesau

Fachada_HGR_Secom_Roraima__1_.jpeg

Entre os dias 7 a 10 de fevereiro, a Sesau (Secretaria de Saúde) vai realizar uma série de atividades que serão executadas no HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento) sobre a importância do descarte correto dos resíduos hospitalares. As ações são destinadas para servidores, pacientes e visitantes.

“Serão três dias de palestras e uma exposição na unidade. Nosso intuito é orientar os profissionais de saúde sobre como descartar os resíduos do hospital. Quando esse descarte é feito de forma inadequada, os riscos de surgimento de algumas doenças são altos”, explicou o gerente de Resíduos de Serviços de Saúde do HGR, Paulo Marcos Ferreira.

Ele ressaltou que a implantação da Gerência de Resíduos de Saúde é de muita importância, sendo responsável por desenvolver ações de verificação, vigilância e controle dos resíduos produzidos na unidade hospitalar.

Programacao_do_HGR_sobre_descarte_correto_de_residuos_de_saude_Arquivo_Ascom_Sesau__1___1_.jpeg

“A Gerência sempre mantém a vigilância sobre as ações que são desempenhadas pelos profissionais e também pelas pessoas que entram no hospital e podem estar fazendo o descarte incorreto desse resíduo de saúde. São ações baseadas em uma resolução do colegiado da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] e no nosso Plano de Gerenciamento de Resíduos de Saúde e Regimento Interno”, completou.

Ainda segundo o gerente, os resíduos de saúde que são produzidos no HGR são descartados separadamente, para que possam receber o tratamento e a sua destinação correta, sem comprometer o meio ambiente e oferecer riscos sanitários às pessoas.

“Nossas lixeiras estão em padrão preconizado pela legislação e os resíduos são incinerados. Temos também um fluxograma para amputação de membros que antes não tínhamos coleta de resíduos químicos, e hoje nós fazemos a segregação [desse material] da forma correta”, concluiu.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

07/02 – Palestra sobre Gerenciamento de Resíduos

Local: Auditório do HGR

Horário: 9h

08/02 - Palestra sobre Gerenciamento de Resíduos

Local: Auditório do HGR

Horário: 9h

09/02 - Palestra sobre Gerenciamento de Resíduos

Local: Auditório do HGR

Horário: 9h

10/02 – Ação Educativa junto a Pacientes e Visitantes

Local: Corredor principal do HGR

Horário: A partir das 9h

SECOM RORAIMA

JORNALISTA: Suyanne Sá

FOTOGRAFIA: Ascom/Sesau