DENGUE APP

SESPA

Menu

Créditos

Governo do Estado do Pará
Governador: Simão Robison Oliveira Jatene
Vice-governador: José da Cruz Marinho

Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará - SESPA
Secretário: Drº. Vitor Manuel Jesus Mateus
Secretária-Adjunta: Drª. Heloisa Maria Melo e Silva Guimarães
Secretária-Adjunta: Maria do Céu Guimarães de Alencar

Diretoria de Vigilância em Saúde
Diretora: Maria Roseana Cardoso Nobre


Coordenação: Marcos Oliveira Silva
Gerência de Sistemas: Luiz Fernando Covre
Desenvolvedores: Marcos Oliveira Silva | Luiz Fernando Covre | Gustavo Dias da Gama Rodrigues

Créditos das informações: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/folder/classificacao_risco_manejo_paciente_dengue.pdf

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs/dengue

Créditos das imagens: http://www.wikihow.com

© Copyright

SESPA

Menu

Sobre a Dengue

Descrição da doença

Doença febril aguda, que pode apresentar um amplo espectro clínico: enquanto a maioria dos pacientes se recupera após evolução clínica leve e autolimitada, uma pequena parte progride para doença grave. É a doença viral transmitida por mosquito que se espalha mais rapidamente no mundo, sendo a mais importante arbovirose que afeta o ser humano, constituindo-se em sério problema de saúde pública no mundo.

Ocorre e dissemina-se especialmente nos países tropicais e subtropicais, onde as condições do meio ambiente favorecem o desenvolvimento e a proliferação do Aedes aegyptie Aedes albopictus.

Mosquito transmissor

O Mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas.

Costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Há suspeitas de que alguns ataquem também durante a noite.

O indivíduo não percebe a picada, pois no momento não dói e nem coça.

Fonte: http://www.dengue.org.br/mosquito_aedes.html

Prevenção

Elimine água dos vasos de flores Tampe tonéis e tanques
Lave semanalmente os depósitos de água Mantenha calhas limpas e evite acúmulo de água
Não deixe água da chuva acumulada Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira fechada
Jogue no lixo todo objeto que possa acumular água Guarde garrafa sempre de cabeça para baixo
Entregue seus pneus velhos ao serviço de limpeza urbana ou guarde-os sem água em local coberto e abrigados da chava Mantenha a caixa d'água sempre fechada com tampa adequada

SESPA

Menu

Clínica especial

Condição Clínica especial

Condições clínicas especiais e/ou risco social ou comorbidade:

Lactentes (menores de 2 anos), gestantes, adultos com idade acima de 65 anos, com hipertensão arterial ou outras doenças cardiovasculares graves, diabetes mellitus, DPOC, doenças hematológicas crônicas (principalmente anemia falciforme), doença renal crônica, doença ácido péptica e doença autoimunes.

Estes pacientes podem apresentar evolução desfavorável e devem ter acompanhamento diferenciado.

Exames complementares: hemograma obrigatório e outros exames laboratoriais de acordo com a condição clínica associada.

Reclassificar os pacientes após cada avaliação clínica e resultados de exames seguindo protocolo da dengue e vigilância clínica específica (condições associadas).

Prova do laço

Verificar a PA (deitada ou sentada); Calcular o valor médio: (PA sistólica + PA diastólica/2);

Insuflar novamente o manguito até o valor médio e manter por 5 minutos em adulto (em criança, 3 minutos) ou até o aparecimento de micropetéquias ou equimoses;

Desenhar um quadro de 2,5cm (ou uma área ao redor da falange distal do polegar) no antebraço;

Contar o número de micropetéquias no quadrado. A prova será positiva se houver 20 (vinte) ou mais petéquias em adultos e 10 (dez) ou mais em crianças.

SESPA

Menu

Indicio de dengue

Indicios para Suspeitar de Dengue;

Febre com duração máxima de 07 (sete) dias mais pelo menos dois sintomas (cafaléia, dor retrorbitária, exantema, prostração, mialgia, artralgia).

Pesquisar data de início de sintomas / História epidemiológica compatível.

Notificar todo caso suspeito de dengue.

SESPA

Menu

Alarme/Choque

Sinais de Alarme

1. Dor abdominal intensa e contínua;
2. Vômitos persistentes;
3. Hipotensão postural e/ou lipotimia;
4. Hepatomegalia dolorosa;
5. Sangramento de mucosas;
6. Hemorragia importantes (hematêmese e/ou melena);
7. Vômitos persistentes;
8. Sonolência e/ou irritabilidade;
9. Diminuição da diurese;
10. Hipotermia;
11. Aumento repentino de hematócrito;
12. Queda abrupta de plaquetas;
13. Desconforto respiratório;

Sinais de Choque

1. Hipotensão arterial;
2. Pulso rápido e fino;
3. Pressão arterial convergente (PA diferencial < 20mmHg);
4. Choque;
4. Enchimento capilar lento (> 2 segundos);
Iniciar hidratação dos pacientes de imediato de acordo com a classificação, enquanto aguarda exames laboratoriais.

Hidratação oral para pacientes do Grupo A e B enquanto aguarda avaliação médica.

SESPA

Menu

Grupo A

São os pacientes com os seguintes características:

Sem sangramento espontâneo ou induzido (prova do laço negativa), sem sinais de alarme, sem condição especial, sem risco social e sem comorbidades.

Acompanhamento

Estes pacientes devem ter acompanhamento ambulatorial.

Exames

Hemograma completo a critério do médico.

Conduta

Hidratação oral

Adultos:

80ml/kg/dia, sendo 1/3 com solução salina oral e 2/3 com ingestão de líquidos caseiros (água, suco de frutas, chás, água de coco, etc.).

Crianças:

Precoce e abundante, com soro de reidratação oral, oferecido com frequência sistemática, completar com líquidos caseiros para crianças

Menor que 2 anos, oferecer 50-100ml (1/4 a 1/2 copo) de cada vez;

Maior que 2 anos 100-200ml (1/2 a 1 copo) de cada vez.

Repouso Sintomático

1. Antitérmicos e analgésicos (dipirona ou paracetamol).

2. Antieméticos, se necessário.

IMPORTANTE:

Os sinais de alarme e agravamento do quadro costumam ocorrer na fase de remissão da febre.

RETORNO:

Retorno imediato na presença de sinais de alarme ou a critério médico.

Entregar cartão de acompanhamento da dengue.

Reavaliar o paciente nesse período (3º ao 6º dia da doença).

SESPA

Menu

Grupo B

São os pacientes com os seguintes características:

Com sangramento de pele espontâneo ou induzido (prova do laço +), ou condição clínica especial, ou risco social, ou comorbidades e sem sinal de alarme.

Acompanhamento

O paciente deverá ficar em observação até o resultado de exames.

Exames

1. Hemograma completo: Obrigatório.

2. Exame específico (sorologia/isolamento viral).

Conduta

Hidratação oral conforme recomendado para o Grupo A, até o resultado dos exames.

Hematócrito normal

Seguir a conduta do Grupo A.

Hematócrito aumentado

Em mais de 10% ou:

Crianças: maior que 38% (por cento);

Mulheres: maior que 44% (por cento);

Homens: maior que 50% (por cento);

Tratamento

Tratamento em leito de observação: Hidratação oral supervisionada ou parenteral.

Adultos:

80ml/kg/dia, sendo 1/3 em administrados em 4 horas e na forma de solução salina.

Crianças:

Hidratação oral 50 a 100ml/kg em 4 horas. Hidratação venosa se necessário:

Soro fisiológico ou Ringer Lactato 40ml/kg/4horas.

Reavaliação

O paciente deverá ser submetido a reavaliação clícica e do hematócrito em 4 horas (após a etapa de hidratação).

Houve aumento de hematócrito ou surgimento de sinais de alarme:

NÃO: Seguir com hidratação domiciliar igual ao Grupo A.

SIM: Seguir conduta do Grupo C.

Retorno

1. Reavaliação clínica e laboratorial diária ou imediata na presença de sinais de alarme.

2. Entregar o cartão de acompanhamento da dengue.

3. Acompanhar o paciente até 48 horas após a queda da febre.

SESPA

Menu

Grupo C

São os pacientes com os seguintes características:

Presença de algum sinal de alarme. Manifestação hemorrágica presente ou ausente.

Acompanhamento

Leito de internação por um período de 48 horas.

Exames

1. Hemograma completo, proteína, albumina e tipagem sanguínea: Obrigatório.

2. Outros exames conforme a necessidade (gasometria, eletrólitos, transaminases, raio-x de tórax, ultrassonografia).

3. Exame específico (sorologia/isolamento viral: Obrigatório.

Conduta

Adultos e crianças:

Hidratação IV imediata: 20ml/kg/h, com soro fisiológico ou Ringer Lactado.

Reavaliação:

Clínica e laboratorial a cada 2 horas.

Houve melhora clínica e laboratorial. Sinais vitais e PA estáveis, diurese normal e queda do hematócrito?:

SIM

Manutenção Adultos:

- I fase de 25ml/kg em 6 horas;

- Se melhora: 25ml/kg em 8 horas, sendo 1/3 com soro fisiológico e 2/3 de soro glicosilado.

Crianças:

1. Regra de Holliday-Segar:

- Até 10kg: 100ml/kg/dia;

- De 10 a 20kg: 1.000ml + 50ml/kg/dia para cada kg acima de 10kg;

- De 20 a 30kg: 1.500ml + 20ml/kg/dia para casa kg acima de 20kg;

- Acima de 30kg: 40 a 60ml/kg/dia ou 1.700 a 2.000ml/m2SC;

- Sódio: 3mEq em 100ml de solução ou 2 a 3mEq/kg/dia;

- Fase de reposição de perdas estimadas: SF 0,9% ou Ringer Lactato 50% das necessidades hídricas basais, em Y com dupla via ou em dois diferentes acessos.

Não

Repetir fases de expansão até 03 (três) vezes.

Resposta inadequada ou igual: Conduzir como Grupo D.

Critérios de Alta:

1. Estabilização hemodinâmica durante 48 horas;

2. Ausência de febre por 48 horas;

3. Melhora visível do quadro clínico;

4. Hematócrito normal e estável por 24 horas;

5. Plaquetas em elevação e acima de 50.000/mm²;

6. Ausência de sintomas respiratórios.

Retorno

Entregar o cartão de acompanhamento da dengue.

SESPA

Menu

Grupo D

São os pacientes com os seguintes características:

Com sinais de choque. Desconforto respiratório; hemorragia grave; disfunção grave de órgãos. Manifestação hemorrágica presente ou ausente.

Acompanhamento

Leito de terapia intensiva.

Exames

1. Hemograma completo, proteína, albumina e tipagem sanguínea: Obrigatório.

2. Outros exames conforme a necessidade (gasometria, eletrólitos, transaminases, raio-x de tórax, ultrassonografia).

3. Exame específico (sorologia/isolamento viral): Obrigatório.

Conduta

Hidratação IV imediata, independentemente do local de atendimento.

Adultos e crianças:

- Hidratação IV com solução salina isotônica: 20ml/kg em até 20 minutos;

- Repetir estas fases até 03 (três) vezes se necessário.

Reavaliação:

Reavaliação clínica a casa 15-30 minutos e hematócrito após 2 horas.

Houve melhora clínica e de hematócrito?:

- Retornar para a fase de expansão do Grupo C. (Conduta).

Resposta inadequada:

Hematócrito em elevação

Utilizar expansores plasmáticos (coloides sintéticos - 10ml/kg/hora; Na falta deste: albumina - em adultos: 3ml/kg/hora; em crianças: 0,5 a 1g/kg).

Se a resposta ao tratamento for adequada, tratar como Grupo C.

Hematócrito em queda

Investigar hemorragias e coagulopatia de consumo.

Não

Investigar hiper-hidratação, ICC e tratar com diminuição da infusão de líquidos diuréticos e inotrópicos, quando necessário.

Se a resposta ao tratamento for adequada, tratar como Grupo C.

Sim

- Se hemorragias: transfundir concentrado de hemácia.

- Se coagulopatia: avaliar necessidade de plasma (10ml/kg), vitamina K e crioprecipitado (1U para cada 5-10kg).

Se a resposta ao tratamento for adequada, tratar como Grupo C.

SESPA